Capa / Notícias / Sífilis: Todo Cuidado É Pouco.

Sífilis: Todo Cuidado É Pouco.

150911100250_sifilis---cartaz-(apagar-caxias-do-sul---em-dois-locais)A primeira reação ao lembrarmos que fizemos sexo sem camisinha, é com a Aids. Dificilmente nos lembramos das outras DSTs. Talvez por não estarem ligadas a tantos estigmas quanto HIV. Mas não podemos esquecer que todas as doenças sexualmente transmissíveis são perigosas, silenciosas e muitas vezes sem sintomas, e que se não for tratas podem evoluir, e causar sérios danos a saúde ou até mesmo levar a morte. Diz a presidente da Associação Irmão da Solidariedade Fátima Castro.

Fátima diz mais uma vez da necessidade de se usar camisinha nas as relações sexuais, e ressalta o aumento da sífilis, uma doença causada pela bactéria treponema pallidum, que é transmitido por via sexual sem o uso da camisinha com uma pessoa infectada. A doença também  pode ser contraida por sangue contaminado e ainda de forma congênita, da mãe com sífilis para o bebê durante a gestação.

A presidente da Casa da Solidariedade explica que, em adultos, na fase primaria, a sífilis provoca feridas nos órgãos sexuais e manchas vermelhas pelo corpo. Já na fase secundária e terciária, podem vir: cegueira, paralisia, doença cerebral e problemas cardíacos, podendo inclusive levar a morte.

Preocupada com o avanço da sífilis em homens, mulheres, gestantes e bebês, Fátima lembra do perigo que a bactéria oferece a todos, inclusive ao feto, e explica que, quando o feto é infectado, cerca de 40% das gestações terminam  com o aborto espontâneo. E quando o bebê nasce, as consequências podem ser ainda mais terríveis. Ela salienta que a doença pode provocar inclusive a microcefalia, malformação óssea, alterações nos dentes e em vários órgão do bebê.

Muita gente ainda não se deu conta das consequências maléficas das DSTs, antes a preocupação era com a Aids, uma doença que matava e que não havia remédio para combate-la. Ai surgiram aos antirretrovirais, e a doença passou a ser tratável, o que fez e faz muita gente  não usar  camisinha nas relações sexuais, esquecendo da Aids e de outras doenças sexualmente transmissíveis como,  sífilis, gonorreia,  herpes genital,  HPV, e outras mais… diz Fátima. Ela alerta que dados do ministério da saúde indicam que subiu de quase 8 mil para mais de 28 mil casos de sífilis na gestação. E que, já são mais de 900 mil casos por ano no país.

Temos que incutir na cabeça a necessidade de usar  camisinha nas relações sexuais, pois as DSTs estão ressurgindo com força total, depende de cada um de nos ter  atitude. Então, vamos tirar o peso das costas,  vamos fazer   o teste para detectar se temos ou não a bactéria da sífilis ou outras DSTs. Vamos nos prevenir na hora do sexo, ainda mais nesta fase em que se especula que até o vírus da zika poder ser transmitido pelo sexo! Pense nisso.